01 fevereiro, 2012

Um outro amor, a mesma saudade

Foste. Talvez não cedo de mais que a vida passa rápido mas no caminho que fazemos muita coisa e deixada para trás. Para trás, para quem fica e para tras o que fica por fazer. Foste. Talvez nao cedo que os teus 87 anos permitiram-te aprender muita coisa e ensinar muita coisa. Contigo aprendi o valor da palavra amar, que se aplica sempre a alguém que nos toca de maneira especial e sempre que parte deixa uma parte de si connosco.

Para ti, meu avo, que partiste hoje e para mim seria, em qualquer data, sempre cedo demais