31 janeiro, 2012

Atrasada, mas nunca no que sinto por ti

Estive doente, não pude vir contar os meu segredos ontem, por isso estou atrasada.
Mas os meus sentimentos não se atrasam, batem forte como um relógio suíço, sempre certo, sempre confiável. Eu sei que não confias em mim, que te deixaste levar pelas conversas que te envenenaram o coração. Foi porque outros queriam o que sempre só a ti queria dar. A solidão ganhou a batalha e eu cedi, por uma vez, uma única vez. Foi o suficiente para que armas tivessem para te ferir.
Perdoa-me pela minha fraqueza, perdoa-me por te querer tanto que perto de ti me sinto ridícula ao ponto de não conseguir lidar com esta paixão. E como perguntaram nos comentários atrás, são estes os meus segredos. Perdoa-me por ser uma menina nestas artes de te amar tanto.